ARQUIVO
ARQUIVO: 2017-09
AMEC-Metropolitana: Respostas à Carta Aberta
Apoio às Artes: Proposta de Regulamento é insuficiente
CNB: Carlos Pinillos é o novo Delegado Sindical
Cultura acima de Zero!
Fernanda Borsatti: 1931-2017
Questionário: Saúde Ocupacional aplicada aos Músicos
França: Trabalhadores do Espectáculo em luta
AMEC-Metropolitana: Carta Aberta às candidaturas à CML
 
ULTIMOS POSTS
Jornadas de Luta
Carmen Dolores 1924-2021 e Adelaide João 1921-2021
Audição ao CENA-STE no parlamento!
Na rua pelo futuro da Cultura!
CGTP-IN » 50 anos com os trabalhadores
Ponto de situação do sector das Artes de Espectáculos, do Audiovisual e dos Músicos
CARLOS DO CARMO 1939 - 2021

Em resposta à resposta à pandemia
 
ARQUIVO
2020-12
2020-06
2020-05
2020-04
2020-03
2020-02
2020-01
2019-12
2019-10
2019-07
2019-06
2019-05
2019-04
2019-03
2019-02
2019-01
2018-12
2018-11
2018-10
2018-09
2018-07
2018-06
2018-05
2018-04
2018-03
2018-02
2018-01
2017-12
2017-11
2017-10
2017-09
2017-08
2017-07
2017-06
2017-05
2017-04
2017-03
2017-02
2017-01
2016-12
2016-11
2016-10
2016-09
2016-08
2016-07
2016-06
2016-05
2016-04
2016-03
2016-02
2016-01
2015-12
2015-11
2015-10
2015-09
2015-08
2015-07
2015-06
2015-04
2015-03
2015-02
2015-01
2014-12
2014-10
2014-08
2014-06
2014-04
2014-03
2014-02
2014-01
2013-12
2013-11
2013-10
2013-09
2013-08
2013-07
2013-06
2013-05
2013-04
2013-03
2013-02
2013-01
2012-12
2012-11
2012-10
2012-09
2012-08
2012-07
2012-06
2012-05
2012-04
2012-03
2012-02
2012-01
2011-12
 
Notícias
 

AMEC-Metropolitana: Carta Aberta às candidaturas à CML
há 181 semanas
O CENA-STE enviou uma Carta Aberta a todas as candidaturas autárquicas que concorrem à Câmara Municipal de Lisboa sobre a situação vivida pelos trabalhadores da AMEC-Metropolitana. 
 
É necessário terminar com os cortes salarias, é necessário dotar a estrutura de um orçamento condizente com as suas necessidades.
 

 

CARTA ABERTA

ÀS CANDIDATURAS À CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA

Exmos. Srs. e Sras,

A AMEC, associação na qual se insere a Orquestra Metropolitana de Lisboa, encontra-se desde 2012 em graves dificuldades financeiras,  acumulando diversas dívidas resultantes de recrimináveis decisões de gestão por parte das anteriores direcções.

Para além das dívidas a maestros, solistas e reforços contratados, foi criada uma dívida às Finanças e à Segurança Social que colocou a associação em risco de encerramento. Para evitar este cenário e num ambiente de grande pressão, os trabalhadores viram-se forçados a aceitar em 2012 um corte salarial de 20%, recebendo a informação de que o mesmo se manteria por dois anos.

Foram sendo feitas reposições salariais, mas após cinco anos os trabalhadores continuam sem garantias de que o seu salário será reposto na íntegra em 2018 de acordo com os valores anteriores ao corte.

O problema prende-se não apenas com as dívidas existentes - foi acordado um plano de pagamento mensal às Finanças e Segurança Social que representa uma verba orçamental que compromete o normal funcionamento da instituição -, mas com a sub-orçamentação permanente que nunca permite a criação de condições de trabalho dignas.

Sendo a AMEC uma instituição de excelência e com um papel inequivocamente fundamental no panorama cultural do nosso país, e tendo a Câmara Municipal de Lisboa a presidência do seu Conselho de Fundadores, vem o CENA-STE perguntar a V. Exas.:

·         que medidas tomará a vossa candidatura para que em Janeiro de 2018 seja reposta a totalidade dos salários dos trabalhadores?

·         qual o plano da vossa candidatura para a AMEC nos próximos 4 anos de mandato?

·         colocam a hipótese de, em conjunto com todo o Conselho de Fundadores, garantirem o necessário aumento orçamental que possa repor a confiança aos trabalhadores e garantir as condições necessários para o desempenho da sua profissão com dignidade?

O CENA-STE e os trabalhadores da AMEC estão certos de que darão a vossa melhor atenção a esta carta.

 

Com os melhores cumprimentos,

A Direcção do CENA-STE, Sindicato dos Trabalhadores de Espectáculos, do Audiovisual e dos Músicos