ARQUIVO
ARQUIVO: 2017-09
AMEC-Metropolitana: Respostas à Carta Aberta
Apoio às Artes: Proposta de Regulamento é insuficiente
CNB: Carlos Pinillos é o novo Delegado Sindical
Cultura acima de Zero!
Fernanda Borsatti: 1931-2017
Questionário: Saúde Ocupacional aplicada aos Músicos
França: Trabalhadores do Espectáculo em luta
AMEC-Metropolitana: Carta Aberta às candidaturas à CML
 
ULTIMOS POSTS
Jornadas de Luta
Carmen Dolores 1924-2021 e Adelaide João 1921-2021
Audição ao CENA-STE no parlamento!
Na rua pelo futuro da Cultura!
CGTP-IN » 50 anos com os trabalhadores
Ponto de situação do sector das Artes de Espectáculos, do Audiovisual e dos Músicos
CARLOS DO CARMO 1939 - 2021

Em resposta à resposta à pandemia
 
ARQUIVO
2020-12
2020-06
2020-05
2020-04
2020-03
2020-02
2020-01
2019-12
2019-10
2019-07
2019-06
2019-05
2019-04
2019-03
2019-02
2019-01
2018-12
2018-11
2018-10
2018-09
2018-07
2018-06
2018-05
2018-04
2018-03
2018-02
2018-01
2017-12
2017-11
2017-10
2017-09
2017-08
2017-07
2017-06
2017-05
2017-04
2017-03
2017-02
2017-01
2016-12
2016-11
2016-10
2016-09
2016-08
2016-07
2016-06
2016-05
2016-04
2016-03
2016-02
2016-01
2015-12
2015-11
2015-10
2015-09
2015-08
2015-07
2015-06
2015-04
2015-03
2015-02
2015-01
2014-12
2014-10
2014-08
2014-06
2014-04
2014-03
2014-02
2014-01
2013-12
2013-11
2013-10
2013-09
2013-08
2013-07
2013-06
2013-05
2013-04
2013-03
2013-02
2013-01
2012-12
2012-11
2012-10
2012-09
2012-08
2012-07
2012-06
2012-05
2012-04
2012-03
2012-02
2012-01
2011-12
 
Notícias
 

França: Trabalhadores do Espectáculo em luta
há 181 semanas

O dia de ontem, 12 de Setembro, ficou marcado em França por um vasto conjunto de iniciativas de luta contra as gravosas leis laborais que o governo Macron quer aprovar.
Os trabalhadores do espectáculo também estiveram na rua, o CENA-STE enviará uma saudação à sua luta e deseja que estas acções sirvam para travar a erosão de mais um conjunto de direitos fundamentais que continuam a ser atacados pelo novo governo francês, mantendo assim o plano dos seus antecessores. 

Aqui deixamos alguns exemplos de propostas do governo francês que teriam as seguintes consequências para os profissionais do nosso sector em França: 

- a possibilidade de pagamento de um espectáculo à hora, ou seja, se o espectáculo durar 1h30m o trabalhador apenas recebe o equivalente a essa 1h30m de trabalho; 

- permitir ao empregador que altere as condições contratuais unilateralmente e no caso do trabalhador as contestar, o empregador pode simplesmente despedi-lo; 

- fim da hora de repouso diária para as mulheres que estejam grávidas;

- pagamento de trabalho aos domingos ou em dias feriado de acordo com o valor de um dia normal de trabalho; 

- aumento do número de horas de trabalho para os trabalhadores com profissões fisicamente exigentes; 

- fim da negociação salarial anual obrigatória tornando-a quadrienal;

- deterioração das reformas e do seguro-desemprego.

É preciso inverter o caminho de desvalorização do trabalho e da protecção social, a solidariedade entre trabalhadores de diferentes países é decisiva para a alteração deste rumo.