ARQUIVO
Notícias
 

105 trabalhadores do Grupo Plural Entertainment, reuniram-se em plenário
há 1 semana
Os trabalhadores do Grupo Plural Entertainment continuam a dar passos seguros na sua organização. O plenário de ontem reuniu 105 trabalhadores e constitui mais um degrau na mobilização e unidade entre todos. 
 
No dia 19 de outubro, a Administração dará resposta a algumas propostas feitas pelo CENA-STE e que tinham sido votadas e aprovadas por unanimidade no anterior plenário de 5 de Setembro.
 
Ontem, o plenário serviu para informar mais trabalhadores sobre os passos que, decididos em conjunto, têm vindo a ser dados e serviu também para recolher novas sindicalizações. 
Feito o ponto da situação reivindicativa, e com o aproximar do novo ano civil, foi também importante ouvir os trabalhadores do Grupo que não pertencem à produção de ficção. O Caderno Reivindicativo para o ano de 2019, será por isso actualizado com as preocupações dos trabalhadores dos outros sectores, reflectindo melhor a realidade global do Grupo.
 
 O Grupo Plural Entertainment, sendo o maior do país, não é naturalmente caso único. Em várias outras produtoras do sector do audiovisual, verificamos vários atropelos às leis laborais, não se respeitando a conciliação do trabalho com a vida pessoal e familiar através de horários brutais e que colocam em causa a saúde futura dos trabalhadores. 
A isto, temos de acrescentar a precariedade generalizada, a drástica redução de salários e cachets verificada nos últimos anos, as condições de segurança deficitárias que observamos em estúdios e em exteriores e que representam uma clara diferença em relação às condições de trabalho observadas neste sector noutros países. 
 
É preciso também reflectir sobre as alterações que a produção audiovisual tem vindo a sofrer de forma acelerada, quer ao nível da sua distribuição, quer ao nível dos conteúdos produzidos. Os trabalhadores do Grupo Plural Entertainment estão atentos a esta nova realidade e disponíveis para a abraçar, mas uma coisa é certa, independentemente dos formatos e das formas de distribuição, estes conteúdos não se fazem sem trabalhadores, é por isso necessário respeitar os seus direitos e melhorar as suas condições de trabalho.  
 
Os trabalhadores do Grupo Plural Entertainment continuarão a demonstrar que, organizados, quando queremos, podemos.