BREVES
Greve na Plural Entertainment, Grupo Média Capital, 7 a 10 e 13/01/2020
Tem lugar de 7 a 10 e em 13/01/2020 uma greve diária à oitava hora de trabalho realizada pelos trabalhadores do Grupo Plural Entertainment Portugal, S.A., nas instalações sitas em Quinta dos Melos (Loures/Bucelas) e Rua Mário Castelhano, 40 (Queluz de Baixo/Barcarena). A paralisação total do trabalho durante o período acima referido é consequência directa e inevitável do incumprimento, pela Plural Entertainment, do acordo firmado com o CENA - STE em 2018.
Por um País de Cultura - O OE 2020 e o horizonte em 2023
Subscrição pública do comunicado da plataforma Cultura em Luta, 'Por um País de Cultura - O OE 2020 e o horizonte em 2023'. Assina em bit.ly/porumpaisdecultura
Variações ao tema ou a luta pela cultura em Portugal
Neste dia 10 de dezembro reunimo-nos em solidariedade com os trabalhadores e as estruturas que mais uma vez vêem as suas vidas ser interrompidas por um modelo de apoio às artes imprevisível e por um subfinanciamento crónico da cultura. Somos o sindicato de todos os trabalhadores do espectáculo da música e do audiovisual e exigimos: > a definição de uma política cultural, com apoio a todas as artes e a todas as regiões de forma transparente, plural, com respeito pela criação e com instrumentos de financiamento adequados; > o combate à precariedade na actividade artística e estabilidade do sector e o fim do recurso aos falsos recibos verdes e outros vínculos ilegais; > e o compromisso de 1% do OE para a Cultura, já em 2020 avançando para a criação de um Serviço Público de Cultura apoiado no trabalho com direitos. É urgente atingir o 1% para a cultura já no próximo Orçamento de Estado. Sem isso todas as discussões em volta deste ou de qualquer outro modelo de apoio ficarão na aparência, no conceito. É preciso o 1% real e não o ficcional que o Governo teima em anunciar. O financiamento total das candidaturas é possível, basta que haja vontade política. Sabemos bem quanto valemos, quanto vale, quanto deve valer a cultura neste país. Somos o garante da universalidade do acesso à cultura. Somos trabalhadores de teatros, companhias, orquestras de todas as comunidades do país. Dependemos delas e elas de nós. O respeito que devemos é ao nosso público, que nos enche as salas todos os dias. E é também por eles que aqui estamos hoje. Pelo direito à criação e à fruição cultural como bem essencial e emancipador. Queremos uma vida digna e uma verdadeira democracia cultural. Exigimos o que é nosso e de toda a gente.
Outra vez não!
A publicação dos resultados dos concursos da DGArtes para os próximos dois anos deixa claro que as preocupações do CENA-STE, dos profissionais dos espectáculos e das estruturas de criação não eram infundadas. Afirmamos há muito que, independentemente do modelo de concurso, o essencial é garantir um aumento significativo de verbas que permita a estabilidade das companhias já apoiadas e o apoio às novas estruturas. O Sindicato dos Trabalhadores de Espectáculos, do Audiovisual e dos Músicos apela a todas as estruturas, apoiadas ou não, a que participem nas acções que convocaremos nos próximos dias.
Órgãos Sociais
 
Mesa da Assembleia-Geral
Presidente - Carmen Santos - actriz
Secretária - Rita Namorado - músico
Secretário - Pedro Salvador - músico
Suplente - Andreia Egas - actriz
 
Direcção
Ana Cláudia Serrão - músico, Orquestra Metropolitana de Lisboa 
Carla Bolito - actriz
Catarina Grilo - bailarina, Companhia Nacional de Bailado
Daniel Varela - técnico de iluminação, TN D.Maria II
Filipa Malva* - cenógrafa e figurinista
Gonçalo Gregório - director de cena, Teatro do Bolhão e TMP 
Herlander Valente - contra-regra, TN São Carlos
Hugo Barros* - produtor 
Joana Manuel* - actriz e cantora
João Barreiros* - técnico de iluminação
Luís Pacheco Cunha* - músico
Margarida Barata - actriz e produtora
Miguel Raposo - assistente de realização
Pedro Madeira* - assistente de realização
Rui Alves - músico
Rui Galveias* - músico
Sérgio Moreira - técnico de iluminação, Teatro da Trindade
Sofia Leal* - produtora
 
*membros da Comissão Executiva
 
Conselho Fiscalizador
Augusto Portela - actor
Hélder Gamboa - actor e encenador
Tiago Santos - músico
Suplente - Pedro Estorninho, actor e encenador