ARQUIVO
ARQUIVO: 2012-11
Guimarães, Greenaway e o trabalho gratuito
CENA reuniu com o ICA
CGTP-IN Identifica 8 motivos de Inconstitucionalidade na Proposta de Lei de Orçamento do Estado para 2013
Ontem houve plenário no São Carlos
Piquete de Greve Cancelado
Piquete de Greve do CENA
E depois de 14?
Cartaz Greve Geral
CENA adere à Greve Geral convocada pela CGTP-IN
Estivadores solidários com trabalhadores do Espectáculo e do Audiovisual
Guimarães 2012 - Capital Europeia da Vergonha!
 
ULTIMOS POSTS
Manifestação Nacional de Jovens Trabalhadores
 
ARQUIVO
2024-02
2024-01
2023-08
2023-04
2023-03
2023-01
2022-12
2022-11
2022-07
2022-05
2022-04
2022-03
2022-02
2022-01
2021-12
2021-11
2021-10
2021-09
2021-08
2021-06
2021-04
2021-03
2021-02
2020-12
2020-06
2020-05
2020-04
2020-03
2020-02
2020-01
2019-12
2019-10
2019-07
2019-06
2019-05
2019-04
2019-03
2019-02
2019-01
2018-12
2018-11
2018-10
2018-09
2018-07
2018-06
2018-05
2018-04
2018-03
2018-02
2018-01
2017-12
2017-11
2017-10
2017-09
2017-08
2017-07
2017-06
2017-05
2017-04
2017-03
2017-02
2017-01
2016-12
2016-11
2016-10
2016-09
2016-08
2016-07
2016-06
2016-05
2016-04
2016-03
2016-02
2016-01
2015-12
2015-11
2015-10
2015-09
2015-08
2015-07
2015-06
2015-04
2015-03
2015-02
2015-01
2014-12
2014-10
2014-08
2014-06
2014-04
2014-03
2014-02
2014-01
2013-12
2013-11
2013-10
2013-09
2013-08
2013-07
2013-06
2013-05
2013-04
2013-03
2013-02
2013-01
2012-12
2012-11
2012-10
2012-09
2012-08
2012-07
2012-06
2012-05
2012-04
2012-03
2012-02
2012-01
2011-12
 
Notícias
 

E depois de 14?
há +595 semanas

E depois de 14?

 

Escrevemos este texto a 13 de Novembro com a certeza que no dia 14 os trabalhadores e as trabalhadoras estarão com a Greve Geral dando assim a resposta justa aos sucessivos ataques do governo e da troika.

 

Trabalhadores, desempregados, reformados, pensionistas, estudantes, bolseiros, todos e todas sabem que o panorama vivido no final de 2012 só confirma que 2013 será um ano de resistência, de denúncia das políticas inumanas que têm sido postas em prática por um governo subserviente a interesses financeiros e a memorandos com metas irrealistas e impraticáveis.

 

É por isso que a este ataque global respondemos com uma Greve Geral!

 

A Cultura continua a ser dos parentes mais pobres no panorama nacional. Em momentos como este, as diferentes formas de manifestação artística devem assumir uma posição activa e reivindicativa especial, utilizando para isso todas as suas armas: espírito crítico, análise da sociedade, capacidade criativa, despertar de consciências.

 

Os palcos, as salas de cinema, os ecrãs de televisão, as ruas, são pontos de encontro de trabalhadores e de públicos, pontos de encontro onde, em conjunto, podemos exercer o nosso direito à liberdade de pensar, de agir, de interrogar, o nosso direito a exigir trabalho, a exigir trabalho com direitos, a exigir uma vida digna em que ao esforço diário corresponde a devida e justa recompensa.

 

São muitas as lutas que continuaremos a travar depois da Greve Geral, com a certeza que só a organização dos trabalhadores e trabalhadoras poderá dar voz ao seu descontentamento, continuando a intervir na actualidade cultural de forma continuada e transversal, estando ao lado dos profissionais na negociação e proposta de políticas para o sector e na intervenção nos locais de trabalho.

 

Estaremos cá, nós os da Cultura, para a defendermos, mas não porque ela seja nossa, mas porque a fazemos para todas as pessoas, para que ela ajude a minorar as adversidades quotidianas, para que o nosso trabalho ajude a transformar o país e o coloque no rumo do crescimento e progresso social.

 

Que esta Greve Geral nos fortaleça e nos confirme a justeza das nossas lutas!