BREVES
Levantada a greve na Plural Entertainment
Com a garantia de reabertura de negociações, os trabalhadores do Grupo Plural Entertainment decidiram levantar a greve agendada para o período de 18 a 31 de Dezembro. Ontem, ao final do dia, decorreu a primeira reunião desta nova fase de negociação. Com alguns pontos já fechados, esperamos que elas se concluam rapidamente e de forma positiva.
Novo pré-aviso de greve no Grupo Plural Entertainment
Depois de a Administração do Grupo Plural Entertainment ter decidido retirar-se das negociações relativas a horários e salários, os trabalhadores decidiram-se por novo período de greve ao trabalho depois das 8h diárias. Esta nova greve terá o seu início no dia 18 e decorrerá até dia 31 deste mês. Hoje mesmo informámos a Administração do GPE que continuamos disponíveis para reatar negociações, evitando esta nova paralisação.
Greve CCB coloca espectáculos em risco
A greve por tempo indeterminado ao trabalho suplementar que está a ser levada a cabo pelos técnicos da Fundação Centro Cultural de Belém, irá este sábado, dia 8 de Dezembro, colocar em risco a realização dos dois espectáculos ali programados. Leia aqui o comunicado.
Mantém-se a greve na Plural Entertainment
A proposta de negociação apresentada ontem aos trabalhadores não teve aprovação. Ainda hoje o CENA-STE irá enviar uma contra-proposta à Administração do Grupo Plural Entertainment, mantendo assim em aberto as negociações, certos de chegarmos a uma solução de acordo. Até lá, os trabalhadores continuarão em greve parcial até ao dia 10, realizando apenas 8 horas de trabalho diário.
Perguntas Frequentes
 
Não encontro a tabela salarial da minha profissão. Porquê?

As Tabelas que não se encontram aqui publicadas estão ainda por ser acordadas entre os profissionais do sector. O valor do trabalho freelance é frágil ao ponto de flutuar consoante a conjuntura económica do País; a prática dos profissionais que se encontram no activo e até a inexperiência dos muitos jovens em início de carreira que se formam nas escolas profissionais todos os anos. A referência salarial é essencial para que os profissionais possam não só viver do seu trabalho, mas também cumprir as suas obrigações perante as Finanças e a Segurança Social. Por isso a contribuição de todos é importante em cada acto de contratação. Queira por favor contactar-nos para mail@cenasindicato.org .

A definição da minha profissão está incompleta/não existe, como posso contribuir?

Acerca da sua profissão precisamos que nos envie: a designação ou designações; uma breve descrição da actividade; local ou locais de exercício; condições necessárias para o exercício; formação e conhecimentos técnicos necessários; referencial salarial; e outros detalhes que considere importantes. Agradecemos que nos escreva com o seu contributo para mail@cenasindicato.org

Assinei um contrato de trabalho e o meu empregador pede-me um recibo verde, isto é possível?

Se assinou um contrato de trabalho, o seu empregador não deveria exigir-lhe um recibo verde. Se assim o faz, é porque ele não está a cumprir a sua responsabilidade no que respeita ao pagamento da Segurança Social, do seu seguro de acidentes de trabalho e do seu subsídio de férias (proporcional aos dias de trabalho). Certifique-se de que as condições do seu contrato não serão as de um contrato de prestação de serviços e lembre-se de que o título do contrato não tem qualquer valor jurídico, pois são as cláusulas que o definem, e de que mesmo tendo assinado um contrato de prestação de serviços - e se a relação com o seu empregador for de trabalho por conta de outrém - o seu contrato é uma falsa prestação de serviços e pode facilmente ser convertido em contrato de trabalho.