ARQUIVO
Notícias
 

Anexo SS da declaração Modelo 3 do IRS
há +281 semanas

A portaria nº 103/2013 de 11 de Março, obriga os trabalhadores independentes a entregar o Anexo SS na sua declaração anual de IRS relativa a 2012.

Para mais informação consulte aqui o site da Segurança Social e veja se está incluído no conjunto de trabalhadores que não estão obrigados a fazer este preenchimento do Anexo SS.

Relembramos que o prazo de entrega da declaração de IRS para trabalhadores independentes via Internet termina já no dia 31 de Maio.

CENA Aberta - à conversa com a dança
há +282 semanas

Desta vez, dedicamos a Cena Aberta aos bailarinos e a todos que fazem da dança o seu trabalho.

Dia 30 de Maio na sede do sindicato, Av. D.Carlos I, nº72 D, 2º andar, em Lisboa.

21h30 - Conversa informal com a presença das bailarinas Maria Reis Lima, Marina Frangioia e Sara Chéu e da Companhia Nacional de Bailado, Carla Pereira e Carlos Pinillos

23h - Música, copos e convívio

Aparece e traz amigos! Se ainda não és sócio, podes aproveitar para fazer a tua inscrição durante o evento!

Convida os teus amigos através do evento de Facebook.

Cultura é Trabalho
há +282 semanas

Programa de debates

"Cultura é Trabalho

Trabalhar na cultura em Portugal. As necessidades e as dificuldades. Exploração, precariedade, desemprego, trabalho sem direitos. Desistência e emigração. As garantias de liberdade de criação e difusão. Desresponsabilização e desinvestimento do Estado. As políticas de desmantelamento da estrutura do Estado de apoio à cultura e às artes. É ou não, no momento presente, o elogio do mecenato uma estratégia para acabar com esse apoio. Os limites do mercado e da indústria. A colonização cultural. O direito de todos à criação e fruição. Associativismo e ensino artístico. O direito dos mais jovens ao seu momento inadiável de criar e de exercer as suas capacidades.

 
Vamos debater para conhecer melhor a situação em cada área da actividade cultural."
 
Texto que dá o mote para os debates promovidos pelo Manifesto em Defesa da Cultura.
 

 

 

A excepção cultural não é negociável!
há +283 semanas

A excepção cultural não é negociável!

O dia 13 de março de 2013 corre o risco de ser o marco de uma enorme e escandalosa reviravolta na construção da Europa.

É o dia em que a Comissão Europeia, instigada pelo Comissário Karel de Gucht, decidiu espezinhar a excepção cultural ao adoptar um projecto de mandato de negociação que integra os serviços audiovisuais e cinematográficos nas discussões comerciais que terão início este verão com os Estados Unidos.

Ficaram esquecidas as palavras entusiastas do Presidente Barroso que assegurava em 2005 que "na escala de valores, a cultura vem á frente da economia". Foram varridas todas as declarações de amor ao cinema do mesmo Presidente Barroso quando os cineastas se viram obrigados a mobilizar-se para defender o programa MEDIA. E o que aconteceu a esse slogan encabeçado pela Comissão: "A Europa ama o cinema"?.

A alguns meses do fim da sua presidência é difícil saber que marca o Senhor Barroso quer deixar na história da Europa. Neste momento, é infelizmente a imagem da demissão cultural que domina.
Parece inclusivamente não ter retido a lição que ele próprio dava ainda há pouco: "a resposta para a crise, é a cultura".

Não nos enganemos, o mandato de negociação proposto é uma renúncia, uma capitulação, uma ruptura.

Há 20 anos, foi sobre o território europeu que foi forjada esta vontade comum de apoiar a criação e de promover a sua diversidade.

A Cultura está no coração da identidade e do ideal europeus.

Há 20 anos, a excepção cultural irrompia na paisagem internacional e permitia o reconhecimento de um estatuto específico nas obras do espírito que não podem ser consideradas bens como as outras e que devem ser excluídas das negociações comerciais.

Há 20 anos, por altura dos acordos do GATS, foi em nome da excepção cultural que a criação e a diversidade linguística puderam continuar a beneficiar das regras de protecção e de apoio.

O balanço é positivo para aqueles que querem ver com objectividade: a diversidade cultural é hoje uma realidade para a maioria dos territórios, factor de permuta e de compreensão mútua, mas também geradora de emprego e de crescimento.

A Europa que amamos é aquela que trabalhou para fazer emergir a Convenção da UNESCO de 2005 sobre a protecção e a promoção da diversidade das expressões culturais e que a confirmou em grande pompa
desde 2006, reunindo 126 países do mundo inteiro. A Europa que amamos é aquela que o mundo olha com orgulho como iniciadora e portadora dessa grande ideia.

Com a adopção deste mandato de negociação que iria reduzir a cultura a uma moeda de troca, a Comissão (com a excepção de três comissários que votaram contra) renunciou a defender a excepção cultural. Ela recusou-se e recusou os compromissos que tinha tomado, não hesitando em fazer prova de uma lamentável duplicidade.

Nós recusamos esta Europa que quer doravante subtrair-se aos grandes princípios colocados pela Convenção nomeadamente aquele que consagra a soberania cultural dos Estados Unidos.

Face aos Estados Unidos onde a indústria do divertimento é a segunda fonte de exportação, a liberalização do audiovisual e do cinema significaria o desmantelamento anunciado de tudo o que protegeu, promoveu e desenvolveu a cultura europeia. Esta política, ampliada por uma hiper- indulgência fiscal para os gigantes americanos do digital, parece querer confundir-nos no que é uma vontade consciente de desprezar a cultura europeia.

Aqueles que, em nome da Europa, terão encoberto ou aceitado esta demissão ficarão definitivamente em dívida aos olhos da História. A diversidade cultural não pode ser uma moeda de troca, ele deve manter-se uma ambição, uma exigência e um comprometimento.

Não é demasiado tarde!

Bater-nos-emos para que a Europa continue a escrever a sua História, pelo espírito, pela Cultura, por um outro olhar sobre si e sobre o Mundo a fim de que os cidadãos possam trazer respostas profundas e complexas aos desafios que o nosso tempo levanta.

As personalidades europeias signatárias fazem solenemente apelo aos chefes d' Estado europeus para que se pronunciem em favor da exclusão dos serviços audiovisuais e cinematográficos das negociações entre a Europa e os Estados Unidos.

Assine a petição aqui.

PRIMEIROS SIGNATÁRIOS

 

Michael Haneke / Lucas Belvaux / Stijn Coninx / Jean-Pierre Dardenne / Luc Dardenne / Jaco van Dormael / Joachim Lafosse / Olivier Masset-Depasse / Frédéric Sojcher / Michal Wald / Walter Salles / Kamen Kalev / Thomas Vinterberg / Aki Kaurismäki / Jean-Jacques Beineix / Catherine Breillat / Jacques Fansten / Costa Gavras / Michel Hazanavicius / Laurent Heynemann / Agnès Jaoui / Pierre Jolivet / Radu Mihaileanu / Olivier Nakache / Bertrand Tavernier / Eric Tolédano / Fred Breinersdorfer / Jochen Greve / Volker Schlöndorff / Margarethe von Trotta / Tassos Boulmetis / Bela Tarr / Marco Bellocchio / Leonardo di Costanzo / Emanuele Crialese / Giorgio Diritt / Sabina Guzanti / Daniele Luchetti / Ivano de Matteo / Silvio Soldini / Paolo Sorrentino / Paolo Taviani / Vittorio Taviani / Marco Tullio Giordana / Paolo Virzi / Šarūnas Bartas / Arunas Matelis / Robert Alberdingk Thijm / Jane Campion / Eva Sørhaug / Joachim Trier / Marian Crisan / Tudor Giurgiu / Catalin Mitulescu / Cristian Mungiu / Radu Muntean / Calin Netzer / Corneliu Porumboiu / Cristi Puiu / Razvan Radulescu / Adrian Sitaru / Ada Solomon / Pedro Almodovar / Montxo Armendariz / Pablo Berger / Isabel Coixet / Angeles González-Sinde / Fernando León de Aranoa / Loles León / Joaquim Oristrell / Rosa María Sardá / Santiago Tabernero / Fernando Trueba / Enrique Urbizu / Felix Viscarret / Lionel Baier / Ursula Meier / Stephen Frears / Mike Leigh / Ken Loach / Roger Michell / Rebecca O’Brien / Hugh Stoddart / Susanna White / David Lynch /...
 
12 de Maio - CENA Aberta no Porto
há +283 semanas

Um espaço aberto a conversa e convívio aos associados, futuros associados, amigos e curiosos do CENA - Sindicato dos Músicos e dos Profissionais do Espectáculo e do Audiovisual.

Será projectado o documentário "Cinema Português", um filme que fez parte do protesto em São Bento, em 2012 a propósito da Nova Lei do Cinema.

Contaremos com a presença de um dos membros da direcção do Cena, assim como o núcleo de sindicalizados na cidade do Porto.

 

Dia 12 de Maio às 16h no Maus Hábitos.


Todos os interessados poderão colocar dúvidas, fazer propostas e efectuar a sua inscrição no Cena.

Evento de Facebook

"Negócios" da voz
há +284 semanas

A empresa Music&Friends Co., enviou para o CENA - provavelmente sem saber a quem se dirigia - um anúncio de castings abertos para locutores e cantores. A participação neste casting serve para integrar a base de dados desta empresa, ainda assim quem teria de pagar a realização dos mesmos eram os próprios locutores e cantores. Aqui fica a nossa resposta:

Mais uma coisa estranha… Ou não.

Há por aí casos emblemáticos relativos ao aproveitamento da falta de trabalho. Citamos dois na área da locução, dobragem e locução publicitária:
 
Voz-off - Que os Precário Inflexíveis já denunciaram: http://www.precariosinflexiveis.org/?p=1526.
 
Musics and Friends - Que agora aparece em newsletters, coffeepaste, etc.: (http://coffeepaste.com/anuncios/actores-e-actrizes-para-dobragens/).
 
Em ambos os casos temos uma situação absurda em que a empresa (ou estrutura) quer criar (diz…) uma base de dados com vozes, mas cobrando por isso.
 
Já é pouco tolerável não pagar um casting. Mas é prática corrente há dezenas de anos. Um primeiro casting para ficarem com o registo no arquivo que é a mais valia da empresa ou das empresas em questão ainda se poderá aceitar. Agora permitir que a empresa monte um arquivo que vai ser a sua base de trabalho, com o qual vai ganhar dinheiro, e ainda se financie, isso só pode ser denunciado.
 
Mais: quem são estas empresas? A "Musics&Friends Co." aparece nas newsletters como sendo uma empresa do Porto. Sem morada clara, com um endereço gmail. Acrescenta um nome que não se sabe se é real e um número de telemóvel que poderá ou não estar registado. Sumariamente poderá ser mais uma situação fraudulenta que aparece e desaparece como as marés. Procurando esta empresa encontramos a sede em Santarém (http://codigopostal.ciberforma.pt/dir/506779831/music-and-friends-instrumentos-musicais-unipessoal/). Será a mesma? Não se sabe…
 
Pedem 20€ em dinheiro. Sem rasto… (possivelmente sem recibo)
 
Os incautos que querem ascender a estrelas irão a correr com as promessas vazias de um "mundo dourado".
Recorde-se o caso de uma mãe muito contente por a sua filha de 12 anos gravar spots de rádio e ganhar 80€ por cada. Claro que a agência cobrava o valor de tabela de 315€ e ficava com a diferença. A mãe ficou escandalizada, claro, e rompeu com a agência de voz.
Para nós que por cá andamos há muito sabemos que se trata de um mundo cada vez mais negro e desregulado.
 
Se amanhã contratarem alguém para um trabalho que valor irão pagar? Irão pagar? Tivemos o caso muito recente do desaparecimento da agência AdVoices e das dívidas que por aí deixaram a tanta gente.
 
Muito cuidado!
 
Informa-te! Tens apoio na página do CENA (www.cenasindicato.org) e, no que toca à locução publicitária, em (www.cenasindicato.org/tabelas/locucao.html) ou (www.locutores.pt). 
 
Não trabalhes de borla! Cada vez que o fazes está alguém a ganhar o teu dinheiro.
 
E passa palavra.